Parker Hannifin – Pneumática Industrial

A Parker é uma empresa pioneira quando o assunto é automação industrial. Conheça a história dessa gigante mundial.

Há mais de 100 anos a Parker oferece soluções em automação industrial. A companhia surgiu em 1917 como uma pequena loja de máquinas em Cleveland, Ohio (EUA) e hoje se espalha pelos cinco continentes.

Mantendo sua vocação de pioneira, hoje a empresa oferece soluções absolutamente inovadoras em vedações, hidráulica e pneumática industrial, entre outras.

No que diz respeito a pneumática, a DJP tem orgulho em dizer que é Distribuidora Autorizada Parker. Sendo assim, caso precise de algo nesse sentido, não hesite em entrar em contato com a equipe de especialistas da DJP.

Mas enfim, agora vamos à história…

HISTÓRIA

Sem dúvida, uma história como essa merece ser contada. Afinal, não é sempre que vemos um exemplo tão claro de como o espírito empreendedor e inovador pode, com o passar do tempo, transformar uma pequena empresa numa gigante mundial.

PRIMEIROS PASSOS
Parker Hannifin - Pneumática Industrial

A Parker nasceu do empenho de Arthur Parker e através das décadas superou inúmeros desafios até se tornar a potência tecnológica global que é hoje.

A história da companhia começa antes mesmo da sua fundação, quando Arthur recebeu a patente de um dispositivo de controle hidráulico para máquinas. Esse dispositivo serviu como embrião da empresa que logo viria a construir novos sistemas para caminhões, trens, maquinário industrial e também componentes para o que até então era uma novidade: o avião.

Nos anos 20, o desenvolvimento da indústria automobilística alavancou para valer o crescimento da Parker. Mas, de fato, o que realmente chama a atenção nessa época é o papel exercido no desenvolvimento da aviação.

A PARKER NA HISTÓRIA DA AVIAÇÃO

Diante do sucesso dos componentes hidráulicos da Parker, diversos pioneiros da indústria da aviação (muitos deles também sediados em Cleveland) passaram a procurar a empresa para desenvolver novas peças para suas aeronaves. Nesse sentido, o grande desafio era reduzir o peso dos motores e melhorar a qualidade das peças mecânicas usadas para movimentar as superfícies de controle.

Assim sendo, em diversos momentos definitivos na história da aviação, a Parker estava lá. Por exemplo, foi o que aconteceu em 1927, quando o monomotor Sprit of St. Louis completou o primeiro voo transatlântico da história. Na ocasião, o avião era equipado com sistemas de combustível desenvolvidos pela empresa.

INOVAÇÃO E CRESCIMENTO

Em 1924, a Parker patenteou uma conexão flangeada para tubos. Tal tecnologia foi um sucesso, tendo sido adotada por diversas empresas, inclusive a Marinha dos Estados Unidos. A partir daí, iniciou uma longa história de cooperação com as prestigiosas forças armadas americanas, que atingiria seu ápice durante a Segunda Guerra Mundial.

Além disso, esse momento marca uma importante característica que acompanha a empresa: o espírito inovador. De fato, isso reflete no grande número de patentes registradas até hoje.

GRANDE DEPRESSÃO

Durante os anos 30, a Parker não esteve imune aos efeitos da Grande Depressão. Desse modo, a solução foi sobreviver reduzindo ao máximo suas margens de lucro. No entanto, a empresa aproveitou muito bem as oportunidade que surgiram com a crise. Em 1935, por exemplo, Arthur Parker comprou por um preço baixo um gigantesco prédio de 46.450m2 onde se localizava a Hupp (empresa de automóveis que havia pedido falência). Na ocasião a Parker contava com apenas 38 funcionários e as imensas áreas livres do galpão foram alugadas para outras empresas.

Parker Hannifin - Pneumática Industrial

Com o passar do tempo, em 1939, a companhia já detinha mais de 40 patentes e faturava cerca de 3 milhões de dólares ao ano. Por fim, nas décadas seguintes, a empresa acabou por ocupar todo o prédio, cuja aquisição se mostrou um investimento visionário.

SEGUNDA GUERRA

Quando os EUA entraram na Segunda Grande Guerra, muitas indústrias foram convocadas para produção de mantimentos e armamentos para os soldados. No caso da Parker não foi diferente. Nesse sentido, ela aproveitou todo o seu know-how na área de aviação para fornecer peças para as aeronaves Aliadas. De fato, muitas tecnologia da empresa foram fundamentais na vitória contra o Nazismo.

Com o passar do conflito, a Parker se viu na necessidade de interromper totalmente a fabricação de seus produtos para apoiar as Forças Armadas. Dessa forma, a empresa se tornou a maior produtora de conectores e válvulas hidráulicas para aeronaves em todo o mundo. Nessa época, o número de funcionários focados exclusivamente em fabricar aparatos para as aeronaves chegou a 5000. LEIA MAIS AQUI

REINVENÇÃO

Com as atividade normais paradas durante a Guerra, a Parker só tinha um cliente: o Departamento de Defesa do governo americano. Quando a Guerra terminou, o contrato com este cliente também se encerrou e a empresa se viu numa situação delicada.

Infelizmente, o Sr. Arthur Parker, morreu no dia 1º de janeiro de 1945, pouco antes do fim do conflito. Restou então à sua viúva Helen Parker assumir o controle.

De fato, a essa altura a empresa estava prestes a decretar falência. Diante desse cenário, ao invés de desistir, a senhora Parker recrutou uma nova gerência e liderou a mudança de foco da tecnologia aeronáutica para aplicações industriais.

Num mundo totalmente devastado pela Guerra, a escolha se mostrou sábia, afinal as indústrias ganharam ainda mais importância no processo de reconstrução dos países. Nesse sentido, sem dúvida, a Parker se apresentou como a mais confiável fornecedora de tecnologias industriais para fábricas de diversos segmentos.

A partir daí, a Parker que conhecemos hoje começou a tomar forma…

AQUISIÇÃO DA HANNIFIN

Em 1957, a Parker deu um salto em definitivo para se tornar uma referência mundial em automação industrial. Afinal, com a aquisição da Hannifin, líder na produção de cilindros e válvulas, a Parker passou a fornecer sistemas completos para a condução de fluidos, algo essencial para a industrialização mundial em franca expansão na época.

Parker Hannifin - Pneumática Industrial

Posteriormente, investindo em novas aquisições e com uma cultura descentralizada de gestão, a companhia prosperou. Em 1960, a empresa começou a se expandir para outros países. Em 1964, suas ações passaram a fazer parte da Bolsa de Valores de Nova York, e dois anos depois a Parker entrou para o prestigiado ranking Fortune 500 (das 500 maiores empresas dos EUA).

PARKER NO BRASIL

Parker Hannifin - Pneumática Industrial

Diante do crescimento contínuo e da expansão para outros países, em 1971, a empresa desembarcou no Brasil, que vivia na época um boom de industrialização. Isso aconteceu a partir de uma pequena operação de vedações de borracha na capital paulista. Logo, a Parker Brasil cresceu, se mudando de prédio e estabelecendo uma linha de produção de O’rings.

Já em 1977, a Parker Brasil passou a fabricar alguns modelos de conexões, válvulas e bombas hidráulicas.

Mantendo sua política de aquisições estratégicas, comprou a Schrader Bellows, o que tornou-a líder no fornecimento de produtos de tecnologia pneumática. Em decorrência desta aquisição, toda a fabricação de produtos de automação industrial da Schrader Bellows, em Jacareí (SP), passou para o controle da Parker.

Por fim, com o tempo, a Divisão de Vedações se fortaleceu no país e em 1987 foi criada a Divisão Filtração, a partir da aquisição da Irlemp.

ESTRATÉGIA VENCEDORA

Especialmente a partir da década de 90, a Parker procurou fortalecer sua rede de distribuidores. Graças ao crescimento continuado e o apoio dessa sólida rede de distribuidores, a companhia expandiu seus mercados e chegou a 120 países. Hoje são cerca de 3.600 distribuidores Parker ao redor do mundo.

FUTURO

Ao longo dessa história permeada pela inovação, a Parker conquistou mais de 8.000 patentes que contribuíram para o aprimoramento dos processos produtivos e deram origem às mais avançadas tecnologias de movimento e controle.

Em 2017, a companhia completou seu primeiro século reunindo cerca de 50 mil colaboradores, 400 mil clientes, 800 mil produtos e vendas anuais acima de US$ 11 bilhões. Uma notável conquista para quem iniciou com um único produto e vários sonhos, que até hoje seguem impulsionando esse desenvolvimento.

Fonte